top of page

Prevenção de doenças neurológicas em cães e gatos

Silviane H. Silveira Médica Veterinária com especialização em clínica geral, farmacologia e neurologia veterinária



Cães e gatos estão sujeitos a adquirir ou desenvolver diversas doenças que resultam em lesões no sistema nervoso central e periférico. Alguns estudos mostram que as doenças infecciosas com repercussão neurológica e os traumatismos, dentre eles os traumas medulares e cranianos, estão entre as maiores casuísticas de atendimentos nessas espécies.

Apesar de não existir nenhuma fórmula mágica ou garantia de que o pet não sofrerá com doenças neurológicas no decorrer da vida ou ao envelhecer, é importante lembrar que a prevenção é sempre o melhor remédio.

Mas há como evitar esse tipo de doença? É possível reduzir significativamente as chances do animal desenvolvê-las.


Verdade, há como reduzir!

Cuidados com a saúde dos pets devem ser algo constante e virar em rotina na vida dos tutores. Podemos citar alguns deles:

• Oferecer alimentação adequada e balanceada, escolhendo sempre uma dieta saudável, levando em conta a idade, o tamanho, a raça e as necessidades nutricionais diárias de cada um.

• Manter uma rotina de exercícios físicos, exercitando o pet regularmente, seja fazendo caminhadas, corridas ou até brincadeiras.

• Controlar o peso do pet. Isso é importantíssimo! Evitar a obesidade reduz problemas de saúde associados.

• Visitas regulares ao veterinário: levar os pets para consultas regulares com um médico veterinário é importante para diagnósticos precoces.

• Manter a vacinação em dia e, com isso, reduzir significativamente as chances do pet ser contaminado com algum tipo de doença infecciosa com repercussão neurológica.

• Estimular a mente do pet fornecendo brinquedos e atividades que estimulem a função cognitiva, como jogos de inteligência e treinamentos.

• Socialização: permitir que o pet interaja com outros e também com pessoas, para que possa desenvolver habilidades sociais adequadas e se manter mentalmente ativo.

• Ajudar a controlar o estresse, evitando situações que possam estressar o animal, como ambientes com som muito alto ou mudanças bruscas em sua rotina.

• Permitir um descanso adequado, certificando-se de que o pet tenha um local confortável e tranquilo para o descanso.


Mas podemos ir além no quesito prevenção...

Animais com pré-disposição racial a desenvolver algum tipo de doença merecem atenção redobrada e cuidados extras no seu dia a dia. Por exemplo, cães condrodistróficos, como o Dachushund, e outras raças como Shistzu, Pug e Bulldog, que possuem em sua genética a grande predisposição a desenvolverem hérnias de disco, precisam de cuidados com a alimentação para não desenvolverem sobrepeso, não devem ter hábitos como pular de camas ou sofás, descer/subir escadas, etc. Em alguns casos, a administração de suplementos condroprotetores é uma excelente opção para o fortalecimento dessas estruturas, reduzindo, assim, a chance de degeneração de disco intervertebral e, com isso, a ocorrência de herniações.



Dra. Silviane H. Silveira (54) 9 8150.5010

@/silvi.hs

@med.vet.silvianehs

2 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page