top of page

CAPA: PANELAÇOPET



A Panelaço é uma empresa familiar que nasceu há mais de 60 anos focada no setor de alimentação, com diversos produtos para atender esse mercado. Em 2020, o grupo se voltou ao segmento pet e assim nasceu a Panelaço Pet. O que fez o grupo apostar nesse mercado?

Alexandre - Como a Panelaço estava há muitas décadas levando alimentos de arroz e outros produtos do gênero para as famílias brasileiras e observando o comportamento do mercado em que os pets estão fazendo parte da família como filhos, então por que não produzir um alimento para eles e junto com o produto atual entrar nas casas brasileiras? O segmento é um pouco diferente, mas o produto também é o alimento, que é a expertise da Panelaço por anos.


Vocês estão entrando num mercado de tubarões na área pet, que e é o de alimentos. Quais são as estratégias para disputar esse mercado competitivo e agressivo?

Alexandre - Nós temos estratégias de curto, médio e longo prazos, entendendo o momento da empresa, o momento da marca e, principalmente, a cultura da região. Fazemos toda essa análise e a partir daí construímos as estratégias. Também focamos numa escuta ativa. Ouvimos o tutor, o cliente lojista, o médico veterinário, o representante que está em contato com os clientes, para entender o que o mercado está buscando. A partir dos insights deles entregamos o produto ou serviço que o mercado está necessitando. Com isso, conseguimos ter uma visão mais clara e abrangente do todo, e ser mais assertivos nas nossas decisões.

Como a Panelaço Pet pretende se diferenciar e crescer nesse concorrido mercado?

Alexandre - Um dos nossos principais focos é qualidade e custo-benefício no alimento, porque isso gera fidelização. E buscamos diferenciação não só por produto, mas por atendimento, inovação e sustentabilidade. Também acreditamos muito nos nossos clientes internos. Fazemos seguidamente pesquisas de clima para entender como eles estão e como podemos melhorar; e a partir disso elaboramos planos de ações e as entregas que eles solicitam. Porque se tivermos colaboradores felizes e entusiasmados, com certeza todo esse amor e esse respeito vão para o produto. Na Panelaço Pet temos uma crença: "não se constrói uma empresa, se constrói um time e esse time constrói a empresa''. Acreditamos que muito do sucesso é quase que exclusivo das pessoas que formam o nosso time. São pessoas com especialidades, buscamos contratar os melhores de cada área. Somos em poucos, mas nosso time tem pessoas de alta performance que fazem entregas acima da média. E todos nós estamos unidos e focados num único propósito, voltados para o mesmo objetivo. Isso faz a empresa ter agilidade e performance. Hoje no grupo são mais de 300 colaboradores diretos e mais os indiretos, e na Panelaço Pet temos 80 funcionários diretos, além de muitos indiretos, como distribuidores, representantes e transporte terceirizado que geram uma cadeia de valor. Tenho muito orgulho do time que construímos e de como lidamos com as coisas no dia a dia. Somos uma empresa-família onde um ajuda o outro e não queremos perder essa essência. E o mais bacana de tudo é que o nosso slogan não foi inventado. Ele foi uma construção a partir do olhar das pessoas de fora que falaram: "vemos que vocês se preocupam com as pessoas, com os pets, com o outro''. Isso nos trouxe insights e criamos o slogan a partir da perspectiva de um outro nos olhando. Porque uma coisa é o que eu digo que eu sou, outra coisa é o que as pessoas dizem que eu sou. Acreditamos que o que mais vale é como as pessoas nos veem. A maior pureza e a maior verdade estão aí. "Querer bem faz bem" nos representa, e nós adotamos, alimentamos e retroalimentamos esse sentimento todo dia.


A Panelaço nasceu e se consolidou no mercado dentro de uma indústria de arroz e está trazendo agora esse ingrediente como matéria-prima para os produtos da Panelaço Pet. Isso é uma estratégia de diferenciação perante a concorrência?

Alexandre - Sim, na verdade o know­how a gente não trouxe muito porque são segmentos diferentes. Mas o que trouxemos e que é um diferencial são os produtos pets que têm o arroz como base e que oferecem qualidade, digestibilidade muito superiores ao que é usado pelos outros fabricantes. Com certeza hoje nosso produto é diferente porque usamos a força do grupo para alimentar uma parte da cadeia dos suprimentos da Panelaço Pet. Os concorrentes acabam não usando o arroz como insumo principal, também porque ele tem um custo maior e as fábricas acabam utilizando as matérias-primas que estão mais próximas delas e são mais baratas. Então, o acabamento, a digestibilidade, a palatabilidade do nosso alimento são um diferencial. Recebemos muito elogio em função disso e acreditamos que é um diferencial competitivo e, principalmente, de qualidade.

Na questão nutritiva o arroz também é superior como insumo no alimento pet?

Joana - Sim. O arroz, nutricionalmente falando, é superior aos demais coprodutos usados pela maioria das empresas pets, primeiramente porque ele tem uma digestibilidade bem acima dos outros cereais e segundo porque agrega outros nutrientes, como vitaminais e minerais. Embora tenha um perfil nutricional muito interessante, para a maioria das indústrias que não estão dentro de um engenho de arroz, como é o nosso caso, acaba se tornando bastante caro o uso dessa matéria-prima. Como a Panelaço tem o arroz dentro de casa temos matéria-prima fresca o tempo inteiro, o que também vai garantir uma nutrição melhor porque não temos ingredientes armazenados por longos períodos. Além disso, a característica nutricional dos próprios ingredientes que nós conseguimos extrair de dentro do engenho é bastante diferenciada. Tudo isso nos dá um diferencial competitivo bastante forte.


A marca se preocupa em cuidar da saúde dos pets e do mundo e explora esse conceito no slogan "Querer bem faz bem'􀀁 Como isso acontece na prática e nas ações do dia a dia?

Alexandre - Podemos falar em algumas frentes que nos rodeiam. Uma é a questão da alimentação do pet, porque o animal está recebendo o alimento e não sabe o que tem dentro. Nós temos muita responsabilidade e exigência, analisamos todas as matérias-primas antes de entrarem na indústria para garantir a melhor segurança alimentar que existe hoje. Caso contrário, devolvemos a matéria-prima ao fornecedor. Acreditamos que querer o bem dos pets é alimentá-los com produtos de alta qualidade e que ofereçam segurança alimentar. Também cuidamos dos nossos colaboradores, nas datas comemorativas, como o Dia da Mulher e outras, damos um mimo. Temos orgulho em dizer que 35% do nosso quadro, hoje, é composto por mulheres e a meta é chegar ao final do ano com 50%. Temos mulheres na operação da fábrica. Começamos a contratar mulheres da região e estamos tendo bons resultados com um quadro cada vez mais feminino. Percebemos que elas são mais atenciosas e, ao serem valorizadas, retribuem dando o seu melhor. Também somos uma empresa com perfil jovem. Consideramos até que somos uma startup, pois entre os nossos diferenciais está agilidade. Vemos os concorrentes às vezes como um transatlântico. Enquanto eles demoram 1 O anos para mudar uma embalagem, em um ano e meio nós mudamos quatro vezes a nossa embalagem. A Panelaço Pet tem mentalidade de startup, está muito atenta ao mercado, tem dinamismo e agilidade nas decisões e ações, porque o mercado está mudando e muito rápido, e quem tiver velocidade para acompanhar certamente irá colher bons frutos, como nós estamos colhendo.


Como a Panelaço Pet está posicionada no mercado com apenas dois anos de vida? Quais foram os maiores desafios enfrentados nesses dois primeiros anos?

Alexandre - Os desafios são muitos, porque as vendas aconteceram de forma exponencial e disruptiva, superando as nossas expectativas. Não imaginávamos que seríamos tão assertivos. E como

"Escutamos muito os inputs que vêm do mercado e buscamos traduzir essas necessidades em produtos e serviços."

operação tudo tem que andar muito junto, então os desafios maiores foram manter o padrão de entrega, conseguir atender a demanda de venda com a fábrica e a produção, contratar as pessoas, abr ir novos turnos em um tempo tão curto. Falamos na Panelaço Pet que as vendas são um micro-ondas, enquanto as operações da fábrica e de logística são um fogão a lenha. Então, depois que começamos não tem como frear. Fizemos várias reestruturações internas para poder crescer de forma sustentável sem perder a qualidade, que é o que está dando essa conquista de mercado e essa fidelização. A nossa empresa neste ano deve faturar mais de RS 100 milhões e vamos crescer 100% em comparação a 2021. Com isso, deixamos de ser uma empresa pequena. Sabemos que tem empresas muito maiores, mas que de fato não conheço ainda neste segmento, com 16 anos de experiência, é uma empresa que cresceu tanto em tão pouco tempo. E de novo, acreditamos que isso se deve às estratégias, ao time, às pessoas, ao quanto somos focados no negócio. Na Panelaço Pet não criamos muros, e sim pontes. Todos os setores são muito juntos e envolvidos para o melhor para o negócio. Produzimos atualmente 1,5 mil toneladas mensais de alimentos pets e vamos chegar ao final de 2022 com 2, 1 mil toneladas/mês. E uma questão importante quando falamos em sustentabilidade: um dos maiores desafios neste segmento é a carga tributária, que é bem pesada, acima de 50%. Por isso existe muita informalidade. Cumprimos todas as nossas obrigações e isso é uma luta desigual com quem não faz. Nós percorremos o caminho mais difícil, mas sabemos que é o melhor, porque queremos que a empresa perpetue.


Em quais regiões mais cresceram e quais pretendem conquistar e avançar daqui para a frente?

Alexandre - Conseguimos crescer muito bem em todas as regiões que abrimos. Abrimos poucas regiões por uma questão estratégica, mas todas tiveram um bom resultado. Estamos focados na Região Sul, mas ainda temos todo o Brasil para explorar e a exportação, que é um desejo e uma necessidade do nosso negócio. Vamos estar olhando para isso com bastante foco e atenção daqui para a frente.


Vocês estão com dois importantes lançamentos da marca Seven Dogs e Cats: a linha Power Active e a linha Sênior. Quais os diferenciais destas duas linhas?

Joana - Os lançamentos vêm de uma demanda do nosso mercado. Escutamos muito os inputs que vêm dos nossos clientes e buscamos traduzir essas necessidades em produtos e serviços.

No caso da linha Power, percebemos que existe uma grande demanda por produtos voltados para animais de alta performance, e desenvolvemos produtos um pouco diferenciados do que já tem no mercado, porque sabemos que, principalmente no RS, tem muito animal que é atleta e de lida. Esses animais têm um gasto calórico elevado e precisam de um alimento mais encorpado, energeticamente mais robusto e que entregue nutrientes mais reforçados para que o animal tenha performance. Então, primeiro lançamento foi a Seven Power Active, que vem com uma proposta para animais de treinamento e muito ativos. O seu diferencial em relação ao que existe no mercado é o sabor. É de batata doce, frango e Whey Protein, proposta parecida com a de atletas humanos. Sabemos que são ingredientes com alto valor biológico e nutricionalmente com características muito interessantes para esses animais. Já a linha Seven Dogs Senior, com batata doce, frango e beterraba, é voltada para cães com idade mais avançada. Como os animais têm sido cada vez mais bem tratados e considerados membros da família, a gente quer que eles vivam com a maior qualidade de vida e o maior tempo possível. A longevidade é cada vez buscada com mais intensidade pelos tutores e vemos a população dos pets aumentar e envelhecer. Enxergando isso, percebemos a necessidade de um alimento específico para essa fase da vida e trouxemos um produto para resguardar mais a saúde desses animais idosos com um aporte nutricional bem específico para essa fase da vida, em que há maior tendência para problemas renais, articulares e ganho de peso, entre outros.


E a linha Mandala como se posiciona no mercado?

Joana - Temos duas linhas de produtos com o nome Mandala. A linha Premium Selection, que é uma linha de entrada, um produto premium mais enxuto,

que costumamos dizer que é o básico bem feito. Todos os nossos produtos entregam nutrição ótima e, por serem um alimento completo, nenhum deles precisa

ser complementado com nada. Já a Mandala Premium Especial é a nossa linha de mais valor agregado.

Ela traz benefícios associados com ingredientes específicos para saúde

oral, articular, entre outros, e que são benefícios extras que alguns clientes buscam. Então temos no nosso portfólio opções de custo-benefício

em três categorias: premium de entrada,premium intermediária e premium especial.

"Para oferecer nutrição completa ao pet o alimento precisa conter todas as vitaminas, aminoácidos e minerais essenciais para a função do organismo."


Vocês estão apostando em embalagem biodegradável para a linha Seven. Por que escolheram esse produto para investir em uma iniciativa tão importante para a sustentabilidade e o futuro do planeta?

Joana - Na verdade a ideia é propagar essa característica em todo o nosso portfólio de embalagens. Elas se tornam biodegradáveis com a inclusão de um composto bioativo extraído de uma planta. Além disso, todas as nossas embalagens, da Seven e de outras linhas, são 100% recicláveis. Nem todas as empresas trabalham dessa forma e nós entendemos que, assim, causamos menos impacto no planeta com as embalagens. Escolhemos a Seven por ser a nossa maior linha e para sentir como o mercado iria interpretar esse movimento de sustentabilidade. A Panelaço, além de ter embalagem biodegrável, trabalha por uma cadeia mais sustentável, uma vez que usamos os coprodutos da indústria de alimentação humana que, em teoria, não teriam destinaçãopara uso na alimentação dos pets. São ingredientes de qualidade nutricional muito boa, mas que por uma questão estética, por exemplo o arroz quebrado que não é comercializado na alimentação humana, vêm para a alimentação dos pets, oferecendo uma ótima nutrição com um ingrediente que seria refugo no mercado. Dessa forma, a gente já se torna mais sustentável. A nossa caldeira, por exemplo, usa como combustível a casca do arroz que não teria destinação. Essa casca também é utilizada em uma das empresas do grupo para fazer fertilizante natural. Então temos preocupação em ter toda uma cadeia sustentável onde a embalagem veio como um atributo a mais. Escolhemos a linha Seven como piloto porque ela é muito bem aceita no mercado. E também porque vemos outras empresas trazendo embalagens biodegradáveis somente em categorias de produtos com muito valor agregado como superpremium. A gente quis trazer para a categoria high premium, para o cliente que busca um produto não tão caro mas que também se importa com a questão sustentável. Hoje, 60% da nossa produção é na categoria premium e 40% na premium especial.


E o futuro da Panelaço Pet? Para que caminho a empresa está indo e aonde ela quer chegar?

Alexandre - Visitamos a lnterzoo 2022, na Alemanha, a maior e a melhor feira do mundo relacionada ao mercado pet. Vimos lá muita tendência, muitos insights, muita inovação e muita inspiração, produtos diferenciados como veganos, com proteínas de insetos, com conservantes naturais, embalagens modernas e inovadoras, muita sustentabilidade. Agora o desafio é entender todos esses insights e avaliar o que é cabível no mercado brasileiro e em qual linha do tempo, entendendo o atual momento de inflação e de perda do poder econômico dos tutores. Normalmente a Europa está 1 O anos à frente do Brasil, mas isso vem mudando muito. Vamos nos debruçar em estudos para entender e traduzir isso para o mercado brasileiro. Nossa mente está expandida, estamos com muitas ideias. Já no portfólio atual temos itens que se diferenciam, como Whey Protein, produto com zero adição de sal, livre de grão transgênico. E com tudo que vimos na feira os clientes podem esperar mais novidade e inovações.


Quais dicas e recomendações deixam aos tutores sobre a alimentação dos pets?

Alexandre - Muitos tutores buscam o alimento barato, porém o pet terá que comer uma quantidade superior desse alimento e no final das contas vai se tornar mais caro. Quando ele adquire um alimento melhor, esse alimento vai durar mais porque tem mais absorção, mais digestibilidade e mais benefícios embarcados que darão mais longevidade ao pet. Como o pet é um membro da família, o tutor vai investir não no desembolso, mas no retorno que o alimento traz. A sugestão é ler mais o rótulo, buscar mais informação, se conectar com empresas sérias, desconfiar do preço barato e do milagre.


Vocês acreditam e defendem que os pets só precisam de duas coisas: amor e saúde. A alimentação é um item essencial quando falamos na saúde e no bem-estar dos animais de estimação?

Joana - Com certeza, assim como para os humanos, já está comprovado que ter uma alimentação balanceada é primordial. Além disso, atividade física, um ambiente saudável para se viver e conviver são fundamentais para a saúde em geral, tanto humana como animal. No caso dos pets a convivência humana se torna cada vez mais próxima eos humanos tendem a replicar seu comportamento para os animaizinhos de estimação, que são considerados membros da família. E a alimentação é um ponto-chave nisso, porque o animal vai passar a vida toda comendo somente aquele alimento; por isso é tão importante dar alimentos de qualidade que trarão a nutrição ideal para que o pet receba todos os nutrientes essenciais que precisa para manter o seu organismo funcionando da melhor maneira. E aí temos uma gama de produtos para cada fase de vida e para cada necessidade específica.


O que um alimento de qualidade precisa ter?

Joana - Precisa ser um alimento completo e, como o nome já diz, tem que entregar nutrição completa. Há uma variedade de nutrientes que são importantes à saúde dos cães e gatos. Temos os essenciais que são fornecidos pelo alimento e que precisam ser entregues nas quantidades mínimas necessanas para a funcionalidade do organismo. E temos os ingredientes sintetizados pelo próprio organismo do animal. Para oferecer nutrição completa o alimento precisa conter todas as vitaminas, aminoácidos e minerais essenciais para a função do organismo. E quando falamos em alimento completo quer dizer que estão agregados ainda outros benefícios. Ter uma formulação completa e bem elaborada, feita por um veterinário ou zootecnista especialista em nutrição de cão e gato, trabalhar com matérias-primas de qualidade e fornecedores idôneos, e ter um controle de qualidade muito presente dentro da fábrica. Essa é a receita para oferecer um produto que vai garantir a nutrição perfeita durante todas as fases da vida do pet.



Rua São João Batista, 1511 • Caixa Postal 16 • Morro Chato• Turvo-SC (48) 3525.9394













39 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page