Aromaterapia para o meu pet?

AROMATERAPIA | Natália Benavides





Com a chegada da pandemia, a busca por terapias naturais está aumentando, e a Aromaterapia vem ajudando muito as pessoas em situações de ansiedade, para aumento da imunidade e até mesmo para dores musculares e respiratórias. Mas, e nos nossos cães e gatos, a Aromaterapia será que ajuda? Sim!

Me chamo Natália Benavides, sou médica veterinária e aromaterapeuta; e hoje, além dos atendimentos clínicos, faço consultorias e cursos para auxiliar tutores, veterinários (e suas equipes), além de aromaterapeutas sobre como usar os óleos essenciais e também outros produtos da Aromaterapia Integrativa para os animais. Ao longo das próximas edições da Revista PetSerra, estarei com conteúdo repleto de informações.


É preciso lembrar que o uso destas terapias citadas acima é complementar ao tratamento, e que este deve ser acompanhado por um clínico ou especialista.

Na aromaterapia atual temos como “pai” o químico René-Maurice Gattefossé. Todavia, o uso dos óleos essenciais foi descrito em vários momentos da história, inclusive na Bíblia. Os óleos essenciais possuem características químicas e, por isso, mais uma vez saliento que não é apenas um aroma gostoso e, sim, o cuidado que se faz necessário. As propriedades dos óleos essenciais estão diretamente relacionadas aos seus princípios ativos e, de acordo com a sua quantidade, teremos a particularidade de cada óleo. Para exemplificar um pouco: quando falamos sobre as propriedades correlacionadas ao estado físico temos analgesia, anti-inflamatório, antiespasmódico, diurético, antiemético, expectorante, hipotensor, etc. E quando falamos do lado emocional temos calmante, ansiolítico, energizante, etc.

É importante elucidar que, quando falamos do uso emocional da aromaterapia, os estudos se baseiam na questão vibracional dos óleos. Como exemplo, além dos óleos essenciais, incluímos também o uso de florais quânticos, que, em conjunto ou de maneira individual, auxiliam em um equilíbrio desse organismo. Estarei apresentando mais informações sobre eles na próxima edição.

Ok, mas como vou usar os óleos essenciais no meu pet?

Muito importante, a via de uso será a inalação direta (uma gota na sua mão e então coloque a mão na frente do pet) ou através do uso do difusor ultrassônico (que não queima a molécula do óleo essencial). Para o uso via oral ou tópico , somente com a indicação de um aromaterapeuta, de preferência, médico veterinário. Contudo, antes de saber como usar, preciso chamar a atenção para dois óleos que precisamos ter cuidado: óleo de alecrim e óleo de melaleuca, pois podem causar intoxicação, principalmente em gatos, por isso, o melhor é evitar.


E qual óleo vou usar no meu pet?

Resposta muito simples: Oferte os óleos! Deixe o frasco no chão ou oferte para o seu pet cheirar. Estudos com base em comportamentos dos animais sugerem que eles sabem o que realmente precisam quando estão doentes. Ou você nunca percebeu que o cão ou gato sabe exatamente qual plantinha mastigar quando está com dor de barriga?

Uma vez que o seu pet aceitou um ou dois determinados óleos, muitas perguntas são respondidas, como, o porquê de o cachorro latir por qualquer barulho; ou qual a dor mais aguda naquele animal idoso que apresenta diversas patologias.

Não estou aqui para lhe oferecer um milagre, mas, sim, uma ajuda para trazer ainda mais qualidade de vida para você e seu pet!

Gostou da matéria?

Gostaria de saber mais sobre o assunto?

Entre em contato pelo telefone ou acesse o conteúdo na minha rede social: @mvnataliabenavides ou pelo whatsapp: (54) 99616.2615





6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo