A importância dos exames pré-operatórios na rotina anestésica

Atualizado: Out 1




O propósito dos exames pré-cirúrgicos é avaliar o estado clínico geral do paciente, a fim de propor a melhor estratégia para a realização do procedimento cirúrgico/anestésico com segurança. A solicitação pode ser feita tanto pelo médico veterinário anestesista quanto pelo cirurgião e/ou clínico, cabendo a eles selecionar quais exames serão necessários para complementar a avaliação de risco do paciente.

Eles podem ir de exames mais comuns, como o hemograma completo, e bioquímicos, que possibilitam apurar se o animal apresenta anemia, por exemplo, bem como avaliar as células de defesa do organismo e atividades de órgãos como rins e fígado, passando a exames mais específicos como o eletrocardiograma, ecocardiograma e exames de imagem.

O critério utilizado para a solicitação dos exames varia de acordo com a idade do paciente, patologia que ele apresenta e o procedimento cirúrgico a ser realizado. Para pacientes mais idosos, por exemplo, é indicado, além dos exames de sangue completos, uma avaliação cardíaca, incluindo exames como eletrocardiograma e ecocardiograma, que têm por finalidade saber como está a atividade elétrica e a função desse coração para instituir o melhor protocolo anestésico para o paciente.

Já os pacientes jovens que farão alguma cirurgia eletiva, como uma castração, passarão pela avaliação do médico veterinário clínico e, se não apresentarem alterações relevantes, o exame a ser solicitado será o mais básico, mas não menos importante. Pois muitas vezes as alterações laboratoriais acontecem antes de o animal demonstrar sinal clínico.

É sempre importante a avaliação da função renal e hepática dos pacientes em geral, antes de procedimentos que necessitam de anestesia. Pois as drogas utilizadas para esse fim em sua grande maioria são metabolizadas pelo fígado e eliminadas pelos rins. Por isso, é preciso saber se esses órgãos estão em bom funcionamento. Caso apresente alguma alteração na função desses órgãos é importante que o anestesista avalie esses exames para instituir um protocolo que cause o menor dano possível ao paciente.

Em síntese, esses procedimentos e cuidados têm por finalidade direcionar a conduta do médico veterinário anestesista para elaborar da melhor forma possível um protocolo seguro, individualizando cada paciente para minimizar os riscos que possam acontecer. Por isso, a importância de os tutores saberem quem será o anestesista do seu pet durante o procedimento cirúrgico e se o mesmo possui qualificação para tal.

Alexandro Texeira

Médico Veterinário com especialização em Anestesiologia (54) 9618.1679 @alexvetlavras

4 visualizações0 comentário